Com a palavra, quem já fez a UX-PM Certification

Com a palavra, quem já fez a UX-PM Certification

Apresentamos aqui apenas alguns dos milhares de depoimentos de profissionais das mais variadas áreas que já participaram da UX-PM Certification no Brasil e em outros países.

UX-PM no Brasil

“É uma boa introdução ao mundo de UX, permite entender conceitos, ferramentas utilizadas, além de nos fazer compreender como seguir com o desenvolvimento de projetos com foco no usuário e com a participação das demais áreas da empresa. Vale o investimento.”
Rebecca, Gerente de Marketing, Claro Brasil — sobre UXPM 1

A Certificação abre a nossa mente para uma visão muito maior sobre o que estamos fazendo em nossas atividades. Entrar no universo de UX foi uma experiência incrível!”
Vítor, Consultor de Negócios, Bancoob- sobre UXPM 1

“Ótima! Superou as minhas expectativas para o curso. 100% apaixonado!”
Douglas, Web Designer, XYS Interatividade- sobre UXPM 1

“O conteúdo da Certificação Internacional UX-PM apresentado foi muito bom. Pretendo aplicar o conteúdo aprendido no meu dia-a-dia.”
Ricardo A., Engenheiro de Qualidade, Bosch- sobre UXPM 1

“Faça UX-PM! Não só por causa do certificado, mas pelo conteúdo do curso”
Fernando N., Desenvolvedor Front-End, Optum — sobre UXPM 1

“Gostei muito do estilo do curso, em turmas menores, o que facilita a troca de experiências com as outras pessoas e com a experiência dos instrutores. Neste primeiro nível, me foram proporcionados muitos conceitos, técnicas e ferramentas, com exemplos reais da aplicação.”
Ana S., Líder de projetos, Scopus Soluções em TI — sobre UXPM 1

“A Certificação UX-PM 1 foi muito produtiva, me deu uma visão geral do tema. Proporcionou uma troca incrível de conhecimento entre os instrutores e os alunos. Considero importantíssimo fazer o treinamento, pois mesmo quem acredita ter um bom conhecimento de UX aprende muito e descobre que na verdade não sabe tudo.”
Tatiana P., Gerente de Canais Digitais, Banco Cetelem — sobre UX-PM 1

“A Certificação é detalhista, explicativa e extremamente útil. Detalhista por passar por um grande número de ferramentas e métodos de UX. Explicativa por ter sido difundida e ensinada através de um ótimo material e explicações dos professores. E por último sua enorme utilidade no mercado atual.”
Eduardo S., UX Designer, Samsung SIDIA — sobre UXPM 2

“Eu recomendo certamente e, inclusive, vou conversar com a equipe para que façamos um trabalho de conscientização de todos os níveis hierárquicos da organização sobre a extrema importância de UX.”
Leonardo V., Gerente de Vendas, Bosch — sobre UXPM 2

“A Certificação vale muito, principalmente na minha área (de equipamentos médicos) onde o material sobre o assunto é bem escasso e faltam pessoas especializadas.”
Jessyca B., Supervisora de Certificação e Validação de Equipamentos, Samtronic — sobre UXPM 2

“A certificação UX-PM ‘Executando UX’ abrange todas as técnicas necessárias para um profissional de UX atuar. Para aqueles que não são da área de UX, é importante para conhecer e aprender UX e assim começar a implantar em suas empresas. Ambiente confortável, acessível e com instrutores super capacitados.”
Nuno M., Analista de soluções, Global Web-RJ — sobre UXPM2

“A Certificação atendeu às minhas expectativas. O conteúdo é bem legal e a troca de experiências também. Gostei do perfil das pessoas, o que fez com que o nível da conversa saísse do básico.”
Murilo J., Lead Designer, IBM — sobre UXPM 3

“A Certificação é muito útil e reveladora em vários aspectos, como no papel das equipes de UX nas empresas, nas habilidades necessárias e no perfil dos profissionais envolvidos. Já o conteúdo relativo às métricas é bem valioso para ajudar a tangibilizar os ganhos da adoção de UX pelas empresas, auxiliando na construção de cases e na justificativa de investimento nessa metodologia. Façam a Certificação, pois certamente irá auxiliá-los no melhor entendimento do papel da equipe de UX e seu valor mensurável para o negócio.”
Rodrigo F., Gerente de Produtos, Claro Brasil — sobre UXPM 3

“O nível 3 tem uma abordagem bem mais estratégica, o que ajuda bastante no dia-a-dia do meu trabalho. Vale bastante a pena para entender as técnicas que podem ser utilizadas no ramo de design estratégico.”
Rafael T., UX Lead, Casion Tech Goodies — sobre UXPM 3

 

Turma UX-PM 1 em Paris, França

Turma UX-PM 1 em Paris, França

UX-PM em outros países

“User Experience is at the core of our concerns and now I better understand the value of UX to the business.”
Nicolas V., Digital Financial Marketing, France

“A training accessible to a large audience, anyone can find on it suitable content for its profession.”
Adrien S., Information Technology, Switzerland

“It’s a really relevant courses for design teams. Two beautiful and very rich days, bravo!.”
Annie D., Digital Lead, Canada

“Personally, I am glad that I could participate in such well planed training. It met my needs perfectly — better understanding and increasing UX awareness. If you create products / services and you seriously care about user satisfaction — this training is for you.”
Michał Rączka, IT Strategy, Banking Industry Poland

“The UX world is a captivating one! I am now ready to include users on the center of the projetcs.”
 Alain L, Consumer Goods, Switzerland

“I am in the industry for quite some time and I can safely say that taking part in the training allowed me systemize knowledge I possessed so far and expanded the horizons of this newly acquired. UX-PM 1 gave me a huge boost of knowledge on the approach to the user.I would recommend it.”
Paweł Ł., UI designer, NEEK

“Much more than a hot topic, User Experience is really the future and will allow us to get even more to the top.”
Nadège S., UI Design, Travel Industry, France

Service Design, você precisa disso?

Service Design, você precisa disso?

Service Design ou Design de Serviços, em português. Talvez você ainda não conheça o termo e tudo bem, porque essa nossa área está cheia de palavrinhas novas que soam bonito mas que nem sempre fáceis de entender ou de explicar.

O Design de Serviços engloba as metodologias e processos de design com foco no cliente final e também considera tudo o que precisa acontecer dentro da empresa para que os objetivos finais sejam alcançados.

O que acontece nos bastidores, por trás daquilo que o cliente vê, é muito importante para que um produto ou serviço saia como planejado, tenha boa aceitação e faça sucesso. Isso é Design de Serviços.

Há poucos dias vi um vídeo muito bom que explica o que é Design de Serviços de uma forma bem gostosa. Assiste aqui:

What is Service Design? A tale of two coffee shops from Fjord on Vimeo.

No Nível 2 da Certificação UX-PM falamos bastante de Design de Serviços, analisamos casos reais e fazemos exercícios práticos. É um dos momentos muito valorizados pelos participantes, porque trabalhamos com alguns processos internos das empresas que apesar de familiares não constumam ser analisados como devem.

Venha participar da Certificação UX-PM. Aqui você encontra informações sobre os 3 níveis UX-PM, conteúdo, datas e valores.

Se tiver alguma pergunta, pode enviar um email para nós: info@uxpm.pt

Em 2050 haverá 100 milhões de profissionais de UX no mundo

Em 2050 haverá 100 milhões de profissionais de UX no mundo

E isso é muito? Quantos milhões de outros profissionais existem no mundo? Sinceramente eu não sei, nunca tive curiosidade de buscar esse tipo de número, mas que parece muito, parece! Especialmente quando a gente pensa nos profissionais de UX nas empresas aqui no Brasil — muitas só tem 1 profissional! Em todo caso, essa é a previsão do mestre e guru Jakob Nielsen, e merece atenção.

Em artigo recente, Nielsen mostra a evolução da quantidade estimada de profissionais de User Experience desde a década de 1950 (sim, já havia 10 profissionais nessa época na Bell Labs!), passando por 2010 (cerca de 100 mil), 2020 (cerca de 1 milhão) e prevê que haverá 100 milhões de profissionais de UX em 2050.

UX professionals in the world, with a logarithmic scale for the y-axis (data from 1950 to 2017 are best estimates; 2018–2050 are forecasts)

Esse número corresponderá a 1% da população mundial, e ele mesmo se pergunta se é realista imaginar toda essa gente trabalhando numa área tão “esotérica” (rs) como User Experience. E ele mesmo responde: sim, porque felizmente UX não será esotérica no futuro!

“A Experiência do Usuário será o principal motor da economia”

UX será um diferencial-chave entre produtos premium, mais valorizados, e produtos comuns, ordinários. Será também a principal maneira de superar o fraco aumento de produtividade que atualmente assola os países desenvolvidos, de acordo com Nielsen.

Quando a produção de maior valor para as economias do mundo está nas mãos dos “profissionais do conhecimento”, o único modo de aumentar a produtividade é utilizar estratégias de design cognitivo e criar produtos e serviços para estender (e não confundir) a mente humana. Tecnologias que negligenciam as características e habilidades dos seres humanos são uma receita para baixa produtividade contínua, nesta época de “economia do conhecimento”.

É fato sabido que UX gera um forte retorno de investimento (ROI) e, segundo Nielsen, isso vai continuar acontecendo à medida que nos voltemos a resolver os problemas de produtividade das economias avançadas, expandindo o objetivo da profissão de UX para além da obsessão atual em obter mais seguidores e curtidas nas redes sociais.

E os outros 99% que não trabalharão com UX?

Segundo Nielsen, 1% da população mundial estará trabalhando com UX e os outros 99% estarão agradecendo aos profissionais de UX por, finalmente, poderem dominar a tecnologia em vez de serem oprimidos por ela. E mesmo que esses 99% da população não percebam que uma parte substancial do crescimento da economia mundial deva ser creditado aos profissionais de UX, ainda assim eles vão apreciar terem enriquecido por causa dos profissionais de UX.

Jakob Nielsen, eloquente como sempre, está realmente muito otimista sobre o futuro da profissão de UX. E descontando um pouco dessa eloquência, eu também estou.

Nesses 15 anos atuando em UX pude ver um crescimento excepcional da Experiência do Usuário nas empresas. Ainda há muito o que fazer para que elas integrem UX adequadamente aos seus processos/projetos e para que os profissionais de UX aprendam a lidar melhor com as questões referentes ao negócio — foco no usuário eles já têm, agora falta melhorar a outra parte.

Espero poder participar da festa quando o counter bater nos 100 milhões de profissionais de UX (rs)! Enquanto isso, continuo minha caminhada, trabalhando, colaborando com as empresas e formando profissionais de UX com mais foco em negócios.

Informações baseadas no texto original de Jakob Nielsen, em inglês.

Profissionais do Banco Cetelem recebem a Certificação UX-PM 1 em janeiro/2018

Profissionais do Banco Cetelem recebem a Certificação UX-PM 1 em janeiro/2018

Parabéns aos profissionais da equipe digital do Banco Cetelem, do grupo francês BNP Paribas, que participaram da Certificação in-company UX-PM 1 — Adotando UX, em janeiro, a primeiro turma de 2018!

 “A Certificação UX-PM 1 foi muito produtiva, me deu uma visão geral do tema. Proporcionou uma troca incrível de conhecimento entre os instrutores e os alunos. Considero importantíssimo fazer o treinamento, pois mesmo quem acredita ter um bom conhecimento de UX, aprende muito e descobre que na verdade não sabe tudo.”

Tatiana P., Gerente Executiva de Canais Digitais, Banco Cetelem

“O Nível 1 é bem estruturado e dá uma ótima noção do que é UX e seus conceitos básicos. É bom para entender o que é UX e como trabalhar com User Experience.”
Luciana S., Coordenadora de UX, Banco Cetelem

Realidade Aumentada e UX

Realidade Aumentada e UX

O termo Realidade Aumentada — Augmented Reality em inglês, ou simplesmente AR — foi criado por Thomas Caudell, um pesquisador da Boeing em 1990 e ganhou as telonas pelas mãos ágeis de Tom Cruise manipulando um monte de elementos numa tela transparente no filme “Minority Report” em 2002. Mas foi em 2016 com o sucesso (e os perigos) do jogo Pokemon que a tecnologia ficou mais conhecida.

De lá pra cá muito tem se falado sobre Realidade Aumentada, com ênfase grande na tecnologia e pouco foco no usuário.

AR deve ser pensada como uma tecnologia fazendo coisas para as pessoas que estão envolvidas com o mundo ao seu redor, e que vão vendo esse mundo “melhorado” pela tecnologia, onde e quando for apropriado.

Realidade Aumentada é um meio e não um fim em si própria.

Por isso, pensamentos como “Precisamos incluir Realidade Aumentada no aplicativo” ou “O que a gente pode fazer de Realidade Aumentada para conquistar mais público?” dificilmente levarão a mais vendas ou a produtos de sucesso, daqueles que as pessoas amam e não conseguem viver sem.

Ir até os usuários, observar o que eles fazem, em quais situações, conversar com eles no contexto de uso, tudo isso traz informações muito ricas para todo tipo de projeto, em especial para os de Realidade Aumentada. Grupos ou entrevistas em laboratório não são uma boa opção para avaliar AR. É fundamental compreender e visualizar o ambiente onde os usuários vão vivenciar a experiência de uso da AR, para criar, ajustar e melhorar o design.

Uma boa prática de design que deve ser adotada em todo tipo de projeto é manter o design simples, claro, direto, sem elementos demais que acabam poluindo, confundindo ou atrapalhando as pessoas de seguirem em frente.

Ao criar uma experiência com Realidade Aumentada deve-se pensar primeiro nas pessoas, em algo que vai ser útil e importante para elas.

Por isso é necessário aplicar as técnicas de design centrado no usuário e não de “design centrado na tecnologia”, para que a gente não aumente a realidade com um monte de coisas inúteis que ninguém precisa.

Veja abaixo alguns exemplos positivos e negativos de Realidade Aumentada e não deixe de ver o vídeo de Realidade Aumentada de um carro da Toyota -câmeras colocadas embaixo do carro mostram o terreno e onde as rodas estão passando, com a parte da frente do carro ficando “transparente” para o motorista – uma funcionalidade eficiente, útil e focada na segurança das pessoas. Assista o vídeo:

A linha amarela não está no campo, ela aparece na transmissão de TV através de Realidade Aumentada. É um elemento simples, que ajuda os telespectadores do jogo a ver melhor o que está acontecendo.

 Já esta seta azul grande, com texto dentro, que aparecem em AR no meio dos jogadores, confunde, atrapalha e não agradou os telespectadores do jogo.

 O aplicativo de Realidade Aumentada Android Street Lens AR coloca tanta informação na frente do usuário que acaba obstruindo a visão do mundo real e não é útil.

Estas informações foram baseadas no ótimo artigo de Kieran Evans e Jes A. Koepfler (em inglês) publicado na revista da UXPA (User Experience Professionals Association): “The UX of AR: Toward a Human-Centered Definition of Augmented Reality